Nathan de Castro

nathan

Soneto Para Pagar Mico ao Chico

Nathan de Castro

Agora eu era apenas um poeta
que não sabe escrever em japonês
e a noiva veste as roupas da caneta:
azul, vermelha, preta e as outras três.

Agora eu fui rainha do planeta
e a minha lei é o canto em português.
Não sei feliz, mas trago na gaveta
uns versos infestados de porquês.

O meu cavalo tem a banda larga,
não trota, não cavalga e o velho Chico
ele atravessa numa só descarga…

Cow-boy mineiro, um dia sou tão rico,
no outro, roubo uns versos, perco a carga
e sigo a poetar pagando o mico.

Anúncios