POEMA

Transfugação

Transfugação

Mal sinto o cheiro da musa
Que – obtusa – não me ama,
Mas tiro as blusas das outras,
Que abusam de mim na cama.

Faísca

Uma lasca desprendeu-se da aurora boreal.
Verde-azulou mansinho
E foi-se embora. Sentia frio à deriva, tocada
Por ventos solares atmosfera afora,
Sem meta ou destino,
Sem nada.
Um fragmento dos fogos de artifício
De deuses primitivos
Quis, pra encurtar a história,
Abrigo num país tropical.
[…]

Um quase inverno

Um quase inverno

o outono só esquenta as vísceras enquanto dorme
só avia pecados em segredo e silêncio
enquanto ora, dissimulado, às folhas secas em escalpo de rosa
pelo espinho que murcha, mas ainda fere

caminhar deserto

caminhar deserto

teu olhar
esse doido
amotinado
rebentou vidraças
estilhaçou anteparos

Ruptura

Ruptura

Se estou fugindo… é paraMarte,
Se além do infuso pronome,
Deixo-lhe a parte mais doce de mim,
Sendo que um quarto
É em razão do amor,
E o resto,
Pela sua imposição.
[…]

Inópia

Dai à fome do chão
gratidão em sementes
à terra que sente
o soluto fervente
dos sais

Dai aos viventes
enganos minerais
em níquel
e falsos brilhantes
a armação
que ilumina
ao poente
[…]

Olhos de simular poesia

Olhos de simular poesia

Eu só queria um par de olhos que simulassem poesia
Que transformasse o texto morto de um jornal em um poema de amor
Que magicamente fizesse das letras das revistas de fofocas um poema crítico…
Que fizesse da letra pobre
Um verso rico
Que transformasse meu andar torto num voo divino de um colibri…