Radyr Gonçalves

Tristeza antiga

Tristeza antiga

Esta tristeza ancorada em meus olhos tange o rio de águas doces que corre nos sertões do meu espirito. Perdi o rito da vida, o ritmo das coisas comuns.

Anúncios
O elefante, o balão e eu…

O elefante, o balão e eu…

Aquele elefante fumando cigarro
Cheio de desculpas
Amassando os carros
Com os pés – resolveu partir
Com ele, parte de mim
[…]

Olhos de simular poesia

Olhos de simular poesia

Eu só queria um par de olhos que simulassem poesia
Que transformasse o texto morto de um jornal em um poema de amor
Que magicamente fizesse das letras das revistas de fofocas um poema crítico…
Que fizesse da letra pobre
Um verso rico
Que transformasse meu andar torto num voo divino de um colibri…
[…]

Poema Inédito

Poema Inédito

Era um poema inédito
Que falava de chuvas repentinas
E temporais
Era um poema em caracóis brilhantes
Que falava de instantes de cio e loucura
[…]

Lira do tempo

Lira do tempo

E dentro dessa comédia, que é a vida
O choro das rosas
As carpideiras, as prosas
O mofo nos bricabraques
O outono retalhando folhas jazidas
[…]

Desopilações – Sobre falar com os passarinhos

Desopilações – Sobre falar com os passarinhos

A camaradagem desses passarinhos no fim de tarde orquestrando vida e minorando a angústia humana é algo divino…

Desde menino falo com pássaros
Daí aprendi a falar também com os aviões
E com as pedras
[…]

Pelas vidraças

Pelas vidraças

Pelas vidraças das minhas retinas
Palavras voam feito pipas
Descortinando nuvens de momentos
[…]