Magmah

Peractorum

Peractorum

Dá-me um gole do teu vinho mais seleto
E o morango, o chantilly, pra acompanhar.
Fica junto, não te afastes, sê discreto,
Mas me manda um sopro leve… Dá-me ar.

Espelho de Vênus

Espelho de Vênus

‘Inda éramos crianças, pois parece
Que fomos assombrados pelo medo.
Fiquei nas vestes rosa, loas, preces,
E ele, em jogos, armas e brinquedos…
[…]

Simulacro

Simulacro

Eu trago em mim latente um verso mudo
Que dilacera e sangra, mas não grita.
Perfura minha garganta, sobreagudo,
Sem eco e que lá dentro regurgita.
[…]

Dos magmahtismos

Dos magmahtismos

Sou da noite… da poesia… dos cheiros… das emoções… dos sabores… dos inebriamentos e êxtases… dos sonhos em vigília… das canções pungentes… dos arrepios… da espiritualidade… da sábia ironia na hora certa… do aconchego… dos ventos que prenunciam tempestades…
[…]

Vacuum

Vacuum

Faço dessa vida
mero disfarce
do verbo na ausência
velo meu medo
[…]

Bad and silly wolf

Bad and silly wolf

Saíste-me da vida como um homem
Frustrado, acabrunhado e sem escolhas.
E foi assim, da forma como somem
As gotas orvalhadas sobre as folhas
[…]

Rimas e fomes

Rimas e fomes

Percebo um calor, um mormaço que acalma,
Leveza de alma e um suave torpor.
Rajadas de vento, carinho que excita,
No corpo palpita e na pele é um alento.
[…]