Deixe um comentário

Intento

Essa palavra incompreendida, altiva
Morando entre as minhas vísceras
É uma faísca alucinante, acesa
Minha desventura presa
à garganta

Esse intento que morre à míngua
Repousa entre o pouso e o salto
É uma palavra bendita, inominável,
Perturbadoramente viva no meu peito

Seu plano mirabolante de fuga:
um salto para fora do mundo.

 

Imagem: Uncommon Passage, acrílico e papel sobre tela, por Monika Wright

Apoie este projeto!

Crowdfunding

Tá na hora de imprimir!

Faça uma doação!

Ganhe recompensas!

Campanha “Caminhos que se abrem

A revista digital superou as nossas expectativas. Então resolvemos assumir um compromisso bem mais sério com os nossos leitores: um sítio com domínio próprio, com design competente e responsivo E… a edição impressa!

Saiba mais aqui.

Anúncios

Seu comentário é bem-vindo!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: