Deixe um comentário

estágio I

não me recordo do dia que nasci
mas creio que foi o dia mais triste
aprender da dor, do apartar
da perda extirpada que é amar

talvez o pântano escuro
quase silencioso me desse paz
o afogar flutuante e quase sem peso
do existir cessara ali

o grito rouco de protesto
de nada valeu-me
ainda tento me reencontrar
no âmago de minha mãe

olho inerte para ela e recolho-me
em que parte dela existi?
no desespero, no rasgar das entranhas,
não sei dizer das origens

 

Imagem: Fetus, escultura em grês, por Sandra Jones
Anúncios

Sobre Larissa Marques

Escritora, poetisa, leitora compulsiva, amante de Baudelaire e T.S. Eliot

Seu comentário é bem-vindo!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: