Deixe um comentário

Asfixia

escadaria

Tenho-me por tua nestes instantes
de hora marcada
que disciplinado me ofertas,
embora o tempo encoberto
de outras primaveras.
Aceito conformada o que é,
que mais não seria oportuno.

Os outros turnos dedico
à eterna companheira
àquela que me espreita
desde o princípio.
Ela me tem por cúmplice
(ciúmes não hás de ter).
É-me impossível tornar
ao que poderia ter sido,
Idos os verões
todos da aldeia e os serões
às madrugadas.

A mantilha me olha
à chapeleira, indiferente às coleiras
a que os compromissos obrigam.
Não te quero sacrifícios
e os santos ofícios.
Bastam-me os suplícios naturais
a que os processos nos forjam.
Nem quero a carga de vitórias amargas.
Bastam-me as derrotas.

Se as rotas estão traçadas,
homeopaticamente, em doses diárias
(junto à cadela que nos guarda e nos lambe)
divido-te com a mesma amante,
a bela senhora que no horário previsto
a tout le monde ensemble
aguarda paciente ao portão,
terminado o serviço,
ao final do expediente.

A solidão.

Anúncios

Seu comentário é bem-vindo!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: